EnglishFrenchGermanSpainItalianDutchRussianJapaneseChinese Simplified

 

sexta-feira, dezembro 16, 2011

TERRAS D'ALTER ( Parte I )






Este projecto Terras d’Alter Companhia de Vinhos (aqui), nasce de uma parceria entre a Sociedade Agrícola das Antas, a Sociedade Agrícola do Monte Barrão, duas empresas com grande tradição agrícola na região de Portalegre e o enólogo australiano Peter Bright,a viver em Portugal desde 1982.

A Terras d'Alter, utiliza uvas produzidas pelos seus sócios, na região de Alter do Chão e Fronteira, embora em alguns casos recorra a outros produtores do Alto Alentejo, conforme as suas necessidades específicas.

Nesta Parte I da publicação, dos vinhos Terra d'Alter,  irei apresentar Touriga Nacional - Cabernet Souvignon-2009, Aragonez-2009 e Alicante Bouschet-2008, Três tintos alentejanos com perfil claramente novo mundo, feitos para agradar.




Terra d'Alter TN . CS - 2009
  


Castas: Touriga Nacional e Cabernet Sauvignon
Tipo: Tinto
Ano: 2009
Álcool: 13,5%








Notas de Prova:

Um vinho de 50% TN e 50% CS, estagiou em carvalho Francês entre  6 a 9 meses.   De facto denota-se a evidencia olfactiva da Touriga Nacional, enquanto no paladar a evidencia recai sobre a casta Cabernet Sauvignon. Um vinho correcto e  moderno feito para ser bebido e apreciado desde logo. 

Aspecto  rubi com rebordo violáceo, levemente  profundo e viscoso. Aroma ligeiramente intenso, onde predominam notas florais, alguma violeta característica da TN, fruta vermelha e negra madura, e onde discretas notas a tosta que lhe denunciam a passagem pelas barricas. Paladar intenso algo vibrante, onde as notas frutadas se escondem por entre  evidencias vegetais, boas notas tosta e especiarias, acompanhado por um ligeiro amargor,  conjunto levemente encorpado, com taninos bem presentes mas sem arestas, termina longo e persistente.   


Nota Pessoal: 16,0
Preço: €8,00 (Ref.)



Terra d'Alter  ARG - 2009


Castas: Aragonez (97%) e Viognier (3%)
Tipo: Tinto
Ano: 2009
Álcool: 14,5%









Notas de Prova:

Um vinho que segue a linha da modernidade, mostrando na sua essência as características da casta Aragonez,  escusado será dizer que não se dá pelos 3% de Viognier, apesar disto poderia em jeito de exercício tentar justificar o intuito da sua presença, mas não o farei, a explicação será mais apropriada ao enólogo. Está um vinho bastante correcto e de bom nível.     

Aspecto  rubi de média intensidade. Aroma algo intenso, onde predominam notas florais, frutos silvestre, ameixa, com nuances adocicadas temperadas por um tostado bastante bem integrado. Paladar intenso, onde predominam as notas frutadas, alguma tosta, especiarias, num conjunto bem estruturado, algo encorpado, rico em taninos finos e arrumados, termina fresco e atractivo.  


Nota Pessoal: 16,0
Preço: €7,50 (Ref.)  



Terra d'Alter  AB - 2008 
  

Castas: Alicante Bouschet 
Tipo: Tinto
Ano: 2008
Álcool: 14,5%









Notas de Prova:

Um vinho totalmente elaborado a partir da casta Alicante Bouschet, sem dúvida alguma a minha casta de eleição no Alentejo,  estagiou 14 meses em barricas novas de carvalho Francês. Um vinho que reflecte a pujança da casta, e necessidade de tempo para se mostrar. Apesar deste digno Alicante Bouschet poder desde já oferecer bastante prazer a quem o bebe, principalmente a acompanhar carnes com temperos fortes, não terei muitas duvidas em afirmar que mais um pouco de tempo em cave lhe trará algum beneficio.  

Aspecto  rubi bastante denso, praticamente opaco. Aroma predominam notas fruta negra, tosta, café e um ligeiro especiado acompanhado breves notas balsâmicas. Paladar a confirmar as boas notas fruta preta,  embalado por leves notas a tosta, chocolate negro,  especiarias e algum vegetal, num  conjunto fresco e seco bem estruturadode corpo bem dimensionado e taninos vivos e generosos, termina levemente longo e persistente. 

Nota Pessoal: 16,0
 Preço: €7,50 (Ref.)

3 comentários:

  1. Amigo Rui, dos tês só conheço o Alicante Bouschet,gostei mas acho que está um pouco vivo.

    Abraço.

    ResponderEliminar
  2. Perfiro o Aragonez 2009, são gostos :)


    João Themudo

    ResponderEliminar
  3. Caro Paulo,

    Uma das particularidades desta casta é que imprime aos vinhos alguma longevidade , o que por normalmente origina que os vinhos se tornem macios um pouco mais tarde. Mas se reparares este é da colheita de 2008, ou seja já tem algum tempo de estagio, como digo podeá ganhar um pouco mais se bebido mais tarde mas está bastante bem para acompanhar pratos com bom tempero.

    Abraço.

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...