EnglishFrenchGermanSpainItalianDutchRussianJapaneseChinese Simplified

 

15 de Setembro de 2014

Moscatel Roxo (rosé) 2013

  

Região (Doc) Setubal . Castas Moscatel Roxo .  Produtor José Maria da Fonseca . Enólogo Domingo Soares Franco . Tipo Rosé .  Ano 2013  .  Álcool 12,5%

Fugazmente se foram as férias, tempos de descanso, de retemperar forças. Do largo lote de vinhos degustados, ficou-me nas graças, entre outros, este Moscatel Roxo (Rosé) 2013, um vinho JMF, apresentado sob a chancela "Coleção Privada"  Domingos Soares Franco.
Elaborado a partir da casta Moscatel Roxo, surge, no mercado, pela primeira vez em 2007.

Desde logo o seu tom rosado salmão, aberto, apela à nossa atenção, tal como o seu aroma fresco e de boa intensidade, marcado por elegantes notas florais (rosas...) e algumas sugestões a citrinos e morangos. Na boca mostra-se seco, fresco e subtilmente complexo, marcado pelas boas notas a fruta e um grande equilibrio e finura. Muito interessante!

Despretenciosamente destinto, um rosé que se vai evidenciando, num mercado em que os rosés vão paulatinamente ganhando algum espaço. Vale a pena experimentar!

Nota Pessoal: 16
Preço: €10 (Ref.)

17 de Junho de 2014

Quinta do Crasto - Reserva (Vinhas Velhas) 2011


Região (Doc) Douro . Castas (várias) .  Produtor Quinta do Crasto . Enólogo Manuel Lobo . Tipo Tinto .  Ano 2011  .  Álcool 14,5%

Eis um dos mais emblemáticos vinhos da Quinta do Crasto, o clássico, Quinta do Crasto - Reserva (Vinhas Velhas). Um vinho de pergaminhos firmados, reconhecido pela sua consistente qualidade, o seu invejável palmarés é bem prova disto!

De salientar que este Quinta do Crasto - Reserva (Vinhas Velhas) 2011, é composto por cerca de 30 castas diferentes, provenientes de vinhas que rondam em média os setenta anos de idade. O estágio de 18 meses em pipas de carvalho, vem reforçar-lhe, a boa complexidade, normalmente já abonada por vinhas como estas com alguma idade.

Grande ano este 2011, principalmente no Douro! Pelo que já seria expetável que este Quinta do Crasto (Vinhas Velhas) - Reserva 2011, saísse com este nível.

Tom rubi carregado. Aroma intenso e fresco, marcado por frutos silvestres, um leve toque floral e alguma esteva, excelentes notas especiadas e subtis sugestões a barrica. Na boca a frescura e a elegância marcam toda a prova, taninos finos regem o compasso de uma estrutura de grande harmonia e equilíbrio, termina longo e algo persistente. 

Estamos uma vez mais perante um vinho de grande classe, apesar do seu evidente e habitual potencial evolutivo, está desde já pronto para ser condignamente apreciado. Um vinho feito para brilhar numa mesa de gente amiga!

Nota Pessoal: 17
Preço: €25 a €30 (Ref.)



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...