EnglishFrenchGermanSpainItalianDutchRussianJapaneseChinese Simplified

 

quarta-feira, fevereiro 24, 2010

Cartuxa (branco) - 2007


Região: Alentejo
Castas: Antão Vaz, Arinto e Roupeiro
Produtor: Fundação Eugénio de Almeida
Tipo: Branco
Ano: 2007
Álcool: 13,0%









Nota Introdutória:

Produzido, pela Fundação Eugénio de Almeida, uma instituição sobejamente conhecida pelas suas inúmeras actividades em âmbitos, culturais, educativos sociais e espirituais, contribuindo significativamente para o desenvolvimento da região onde está sediada, Évora.

Neste momento esta Fundação é detentora de 460 hectares de vinha e de uma adega construída de raiz na Herdade de Pinheiros, na qual os vinhos são vinificados através de inovadoras práticas enológicas sobre a orientação do enólogo Pedro Baptista.

É na Adega de Cartuxa, pertença da fundação desde 1755, que se produzem para além dos vinhos Cartuxa, os EA, Foral de Évora, assim como o tão conceituado Pêra Manca, o Scala Coeli um vinho que só é produzido nos melhores anos, em 2009 surgiram ainda um tinto Touriga Nacional, um branco Alvarinho e o primeiro espumante da Fundação.

Este Cartuxa branco 2007, é de todo um vinho com interesse, já tive a oportunidade de o provar em diversas ocasiões, e em todas elas a minha opinião persistiu, um branco que seguramente agrada, com um bom corpo, equilíbrio e calmo como a paisagem alentejana, é sem sombra de dúvida um branco de meia estação.


Notas de Prova:

Aspecto Límpido de tonalidade amarelo citrino com laivos dourados. Aroma Boa intensidade, boas notas a fruta (ananás, pêra, …), alguma flor de laranjeira, combinada com um suave toque melado e alguma mineralidade a conferir-lhe a frescura. Paladar a revelar-se fresco e com uma boa acidez ao longo de toda a prova, com notas a fruta madura a ananás, leves nuances a pêra, encorpado, com um fim de boca agradavelmente longo e persistente.






Nota Pessoal: 16,5 (Prova a 10 de Fev.10)
Preço: €10,0 (Ref.)

5 comentários:

  1. António Morais26 fevereiro, 2010

    Estou plenamente de acordo consigo um branco que espelha o terroir do meu Alentejo.
    Esta colheita de 2007 está óptima, superior à de 2006, mas não será de admirar todos sabemos que 2006 não foi um ano muito amistoso para a vinicultura em Portugal.

    Parabéns por este seu blog, aqui posso empregar o termo “ bom perfil ” bastante objectivo e claro.


    Saudações enófilas.

    ResponderEliminar
  2. António Amaral26 fevereiro, 2010

    Amigo Rui,

    Sim senhor já o bebi e está muito bom, se a memória não me falha foste tu que mo recomendaste.

    Grande Abraço.

    ResponderEliminar
  3. Apesar de não ser grande apreciador de brancos, confesso que me já me começam a agradar mais, pela sua descrição julgo que este me poderá ser um deles, espero não sair defraudado, caso contrário,vai ter que me aturar aqui no blog.

    ResponderEliminar
  4. Rui A.Teixeira26 fevereiro, 2010

    Caros amigos,

    Em primeiro lugar quero agradecer os vossos comentários.

    Quanto ao António Morais e António Amaral, parece-me que estamos de acordo. Quanto a sí, PMelo, julgo que não se arrependerá, mas prove-o e deixe aqui a sua opinião, este espaço é para isto mesmo.

    Bons Vinhos a todos.

    ResponderEliminar
  5. Sim senhor, a partir de hoje considere-me um elemento participativo neste blog, ontem, bebi finalmente este Cartuxa branco, e tenho que reconhecer que a caracterização que fez deste vinho assentam-lhe que nem uma luva.

    Cumprimentos

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...