quinta-feira, abril 15, 2021

Passadouro - Touriga Nacional 2017


Passadouro - Touriga Nacional 2017 / Tinto
Douro / Touriga Nacional
Quinta do Passadouro.


Epleno, Douro, na margem esquerda do rio Pinhão, próximo do vale de Mendiz, podemos encontrar, a Quinta do Passadouro, um pedaço de história que nos remonta, até ao sec. XVIII.

Recuando, apenas trinta anos, na história desta quinta, constatamos que, em 1991, foi adquirida pela família  Bohrmann.
Dieter Bohrmann, um belga que acreditava que, no Douro, dada a alta qualidade das suas uvas seria possível, para além dos Portos, fazer-se vinhos tranquilos de grande qualidade. Daí decide fazer uma espécie de parceria com, Dirk Niepoort.
Um pouco mais tarde, junta-se a eles, Jorge Serôdio Borges, um reforço de grande valia para os destinos enológicos da quinta.
Com a saída de Dirk Niepoort, por volta de 2003, e um pouco mais tarde, com o falecimento de Dieter Bohrmann, Jorge Serôdio Borges, assuma por completo a responsabilidade, técnica, dos vinhos que lá se produziam. Isto, até 2019, altura em que  a Quinta do Passadouro, com os seus cerca 42 hectares, dos quais, 36 hectares de vinha, distribuída essencialmente pelas zonas do Pinhão e Roncão, no Douro, é adquirida pela, multinacional Francesa,  AXA Millésimes, proprietária da Quinta do Noval.

Apesar de, 2017, ter sido um ano difícil, extremamente quente e seco, havendo mesmo, em algumas zonas do Douro, a necessidade de recorrer à antecipação das vindimas, conseguiram-se produzir vinhos de grande qualidade, como no caso estePassadouro - Touriga Nacional 2017. Um Touriga Nacional, proveniente de vinhas com cerca de 30 anos, potenciado por um estágio de largos meses em barricas de Carvalho Francês. Um belo tinto, com a assinatura de Jorge Serôdio Borges.

De tom rubi, concentrado e profundo, mostra-se aromático, fresco, com evidencias vegetais a esteva, bergamota, seguido de um leve tom floral, a violeta, que se sobrepõe às sugestões a fruta preta, cereja, mirtilos, tudo envolto num tom especiado, onde sobressaem notas pimenta preta, alguma noz moscada e um subtil tostado muito bem integrado.
Na boca, mostra vigor, um corpo médio, bem balanceado e dimensionado, onde a boa acidez aliada aos seus taninos firmes mas bem domados, lhe marcam a altivez. Termina longo e persistente. Um belo tinto, para acompanhar pratos bem condimentados! 

 
 Not. 17
 Pvp: €22Ref.)

quarta-feira, março 31, 2021

Aneto - Reserva 2015

  
Aneto - Reserva 2015 / Tinto / 14%
Douro / Touriga Nacional, Touriga Franca e Tinta Roriz
Aneto Wines.


Um projeto familiar, que nasce em 2001, no Douro, com apenas 3 hectares de vinha junto à foz do rio Tua. O enólogo, Francisco Montenegro, após, anos de colaboração, com vários produtores, ente os quais, dez anos, passados na Real Companhia Velha,  decide avançar para este projeto familiar, Aneto Wines, assumindo assim não só o protagonismo como responsabilidade do êxito do projeto. Hoje contam com 17 hectares de vinha, com um portfolio bastante diversificado, treze vinhos diferenciados entre os quais, 2/3 são tintos, brancos, um espumante e dois colheitas tardias. 
 
É com este belíssimo,  Aneto - Reserva 2015, que volto novamente aos vinhos com a sua assinatura. Este é provavelmente o blend com maior expressão no Douro, Touriga Nacional, Touriga Franca e Tinta Roriz. Um belo tinto, de gama intermédia, em que os anos que passou em garrafa, desde que chegou ao mercado, promoveram-lhe, mais alguma, elegância e complexidade. Excelente evolução!

De tom rubi levemente grnat, profundo. Mostra um aroma discreto, onde se evidenciam notas a fruta negra madura envolta num tom vegetal, especiado e com elegantes sugestões a tostaNa boca, mostra-se, encorpado, fresco e elegante, muito bem balanceado e com um final bastante longo e persistente.

Um vinho que recomendo vivamente! Mesmo com capacidade para se aguentar por mais uns anos este, Aneto - Reserva 2015, está  no Ponto!


 Not. 17
 Pvp: 17,5€ (Ref.)

domingo, janeiro 24, 2021

Quinta do Ameal - Escolha 2017


Quinta do Ameal - Escolha 2017 / Branco / 12%
Vinho Verde / Loureiro
Quinta do Ameal Sa.


Atualmente sob a tutela do Esporão a, Quinta do Ameal, datada de 1710, é uma propriedade histórica localizada, no Vale do Rio Lima, região dos Vinhos Verdes, com cerca de 30 hectares, dos quais 14 hectares são vinha, na sua essência da casta Loureiro.
 
Nos anos 90 a família de Pedro Araújo, bisneto de Adriano Ramos Pinto, decide adquirir esta quinta que se encontrava praticamente ao abandono. Sob sua orientação, foi submetida a uma profunda recuperação, com vista ao aproveitamento do seu enorme potencial. Nos últimos dez anos sensivelmente, optaram pela agricultura biológica, o que diga-se em bom da verdade, tendo em conta a humidade da região, é um processo extremamente difícil e trabalhoso mas que, claramente, se vem refletir na qualidade dos seus vinhos.

A casta Loureiro ganha aqui uma excelente expressão! A seleção das uvas é efetuada por forma a que a qualidade seja sempre a referencia, na realidade este processo culmina com apenas uma parte das uvas a serem aproveitadas para a produção destes  vinhos.
É o caso deste Quinta do Ameal - Escolha 2017 e em que, neste caso, o seu próprio nome "Escolha" reforça, a sua elaboração a partir de uvas criteriosamente escolhidas e como tal o resultado está à vista! Um magnifico representante da casta Loureiro  em que o estágio, em barricas "usadas" de 225 litros de carvalho francês, não lhe permite que os tons amadeirados se evidencie em demasia, mas promove-lhe estrutura e complexidade.

De aspeto amarelo citrino, aroma expressivo mas delicado, onde se evidenciam notas cítricas e subtis evidencias a flor de laranjeira e tília, tudo combinado com um subtil tom a tosta fina muito bem integrada. Na boca, mostra-se cheio, fresco, com uma belíssima mineralidade, algo complexo e muito bem balanceado, Final bastante longo e persistente.

Um branco bastante gastronómico que recomendo vivamente! Para o desfrutar, desde já ou por daqui a um par de anos, com toda a categoria! 
  

 Not. 17,5
 Pvp: 20€ (Ref.)

domingo, janeiro 10, 2021

Quinta Nova [Referência] - Grande Reserva 2017


Quinta Nova [Referência] - Grande Reserva 2017 / Tinto / 14% 
Douro / Tinta Roriz e Vinhas Velhas
Quinta Nova de Nossa Senhora do Carmo Sa.


Decidi, começar este novo ano, com um vinho, dQuinta Nova de Nossa Senhora do Carmo. uma das mais antigas quintas do Douro, aludida na primeira demarcação pombalina de 1756.
 
Em tempos, apresentei aqui, um extraordinário branco deste produtor, o Mirabilis 2015, na senda deste,  procurei trazer um tinto que, de certa forma, respeita-se os seus elevados pergaminhos. Sem nunca ter provado nenhuma das suas colheitas anteriores, optei por este Quinta Nova [Referência] - Grande Reserva 2017.
 
Um blend marcado, na sua essência pela Tinta Roriz suavizada pela panóplia de castas que integram as Vinhas Velhas. Um tinto, de categoria, sem duvida, uma referencia da Tinta Roriz, no Douro.
 
De tom rubi carregado e profundo, aroma fino e complexo, onde as evidencias vegetais, a mato, se combinam com o frutado da cereja e de mirtilos, envolto num tom especiado, onde sobressaem notas pimenta preta, noz moscada e um subtil tom a tosta.
Na boca, mostra estrutura e vigor, corpo bem dimensionado, taninos firmes mas domados, Final, longo e persistente.
 
Um tinto de grande classe! Mas penso que um pouco, mais de tempo em garrafa lhe trará bons benefícios! 
 
 
 Not. 17,5
 Pvp: €60 (Ref.)

sexta-feira, julho 03, 2020

Herdade do Rocim - Reserva 2018

  
Herdade do Rocim - Reserva 2018 / Alentejo / Tinto / 14,0% 
Touriga Nacional, Alicante Bouschet e Aragonez
Herdade do Rocim 
  
NBaixo Alentejo, entre a Vidigueira e Cuba, situa-se a Herdade do Rocim, uma propriedade, com cerca de 120 hectares dos quais 70 são vinha, 53 de castas tintas e 17 de castas brancas. Este  projeto conta ainda com uma moderna adega, inaugurada em 2007, uma vertente de enoturismo e espaços destinados a atividades culturais e de lazer.

Herdade do Rocim, uma marca que, ano após ano, se tem vindo a consolidar e hoje é sem duvida, uma referência incontornável no cenário vínico Português.
Catarina Vieira, viticultura, enóloga e administradora da Herdade do Rocim, juntamente com seu marido, o enólogo Pedro Ribeiro, têm nos vindo a apresentar um portfólio de vinhos de excelente qualidade e cujo o binômio qualidade/preço é claramente um dos seus pontos fortes.

Este Herdade do Rocim - Reserva 2018, mostra-se com um bonito tom rubi, medianamente profundo. No nariz, aroma algo discreto, com boas notas a frutos vermelhos e um tom vegetal e onde um leve abaunilhado se combina com notas a tosta bem integrada. Na boca mostra-se fresco e envolvente, com bom equilíbrio e taninos polidos a sustentar o conjunto. Termina como começou fresco e envolvente, num final de boca adequadamente longo. 

Um tinto alentejano, que recomendo vivamente! Com excelente pendor gastronômico! Um porto seguro, com uma excelente relação qualidade/preço, pronto para ser apreciado desde já e com capacidade para se aguentar por mais um bom par de anos.


 Not. 16,5
 Pvp: €13,0(Ref.)

quinta-feira, junho 11, 2020

Frederick Von S' (Conde de Mértola) 2013

   
Frederick Von S' (Conde de Mértola) 2013 / Tinto / 13,5%
Alentejo / Trincadeira e Aragonez
Monte F. Assis Lda


A cerca de 500 metros da Vila de Mértola,  na área do Parque Natural do Vale do Guadiana, fica o Monte de Stº António.

Em 2002, Francisco Assis Costa, lança-se na recuperação deste monte alentejano, que herdara de seu pai, pertença da família desde 1950. Um projeto alinhado pela geobiologia, saúde ambiental e alimentar. A agricultura sustentável que aqui se pratica assenta inteiramente na produção biológica e biodinâmica.

Esta propriedade, com cerca de doze hectares, tem como principal atividade a viti e vinicultura. Nos seus três hectares de vinha podemos encontrar as castas Trincadeira, Syrah, Alicante Bouschet, Aragonez, Touriga Nacional, Dona Maria e Moscatel.

Aqui se produz este Frederick Von S' (Conde de Mértola) na versão colheita e reserva este ultimo a partir de 2015. Esta denominação surge como homenagem ao General Frederick Von S' que no Sec. XVII veio auxiliar Portugal contra os Espanhóis. 
Pelo seu valioso contributo, neste caso, na batalha dos "Montes Claros"  decisiva, para manutenção da independência de Portugal, foi-lhe atribuído, pelo Rei D. Afonso VI,  o titulo de 1º Conde de Mértola, assim como a oferenda de uma propriedade nesta região e uma renda vitalicia que lhe permitisse, caso desejasse, passar aqui a sua aposentadoria, o que de resto, julgo que, devido à sua morte, isto nunca viria acontecer.
A vinificação destes vinhos orgânicos é efetuada sob a orientação da enóloga Patrícia Peixoto na adega do Grupo Vila Galé em Beja (Casa de Santa Vitória).


Este interessante tinto alentejano,  Frederick Von S' (Conde de Mértola) 2013, apresenta-se, atualmente, com uma tonalidade levemente grnat e algo profundo. No nariz, o aroma é discreto, pautado por notas a fruta bem madura, subtilmente alicorada, nota-se a presença de um tom vegetal e especiado, levemente abaunilhado, envolto num agradável e fino tostado. Na boca, bom equilíbrio, algo fresco, deixando sobressair algumas as notas a fruta passa e um leve tom especiado, taninos finos permeiam o conjunto. final longo. 
 

 Not. 16,5
 Pvp: €23,50(Ref.)

quinta-feira, maio 28, 2020

Quinta da Lapa (Homenagem a Sta. Teresa D’Ávila) Reserva 2014

   
Quinta da Lapa (Homenagem) Reserva 2014 / Tinto / 14%
Tejo / Syrah,Touriga Nacional, Merlot e Cabernet Sauvignon
Quinta da Lapa -Agrovia, Sa



Nas encostas soalheiras de Manique do Intendente, concelho da Azambuja, podemos encontrar a  Quinta da Lapa !
Recuemos na sua história, não a 1733 ano de sua fundação, mas a 1989, ano em que José Guilherme da Costa, a adquire e dá a inicio à sua segunda grande reforma. Uma profunda intervenção que, inevitavelmente, passa pela replantação de toda a sua vinha, hoje, as mais antigas, com cerca 30 anos, promove ainda a construção de uma moderna adega com as melhores tecnologias do inicio da década de 90.
Mais tarde, à cerca de dez anos, procede à recuperação da casa senhorial, datada de 1756, o que dará origem a um em pequeno empreendimento de turismo rural composto por  11 confortáveis suítes em que a traça antiga se alia aos toques de uma modernidade adequada.

Dos seus cerca de 100 hectares, 67 são, atualmente, de vinha, parcelada por talhões e castas. Arinto, Touriga Nacional, Cabernet Sauvignon, Trincadeira Preta, Syrah, Merlot, Alicante Bouschet e Aragonez, são, na sua essência, as castas predominantes.

Em 2011, Sílvia Canas da Costaarquitecta de formação e filha do proprietário , para além de ter assumido a recuperação "arquitectónica" do empreendimento, envolvesse nos destinos vitivinícolas, deste projeto, e em conjunto com o experiente enólogo Jaime Quendera como consultor e Jorge Ventura, o jovem viticultor e enólogo residente, lança, entre outros, este topo de gama, Quinta da Lapa (Homenagem a Sta.Teresa D’Ávila) Reserva 2014.
Este homenagem surge pela primeira vez com a colheita 2013, lançado em 2015, nos 500 anos do nascimento de Sta.Teresa D’Ávila.




Autoria de Sta. Teresa D' Ávila 


“Nada te perturbe, nada te espante,
tudo passa, Deus não muda.
A paciência tudo alcança.
Quem a Deus tem, nada lhe falta.
Só Deus basta.”




Um tinto de tom levemente grnat, No nariz o aroma é intenso, pejado de notas a fruta vermelha madura, um leve especiado e notas  abaunilhadas que se embrenham em apontamentos a tosta. Na boca mostra-se equilibrado e fresco, confere o seu lado especiado onde os seus finos taninos sustentam a consistência do conjunto. Final, longo e persistente. 
Um belíssimo tinto, que em minha opinião, atingiu o seu seu auge! Como tal aproveite para o degustar nos próximos tempos! 
 

 Not. 17
 Pvp: €21,50(Ref.)

segunda-feira, dezembro 23, 2019

Herdade do Portocarro 2015

   
Herdade do Portocarro 2015 / Setúbal / Tinto / 13,5% 
Aragonez,Cabernet Sauvignon e Touriga Nacional
Herdade do Portocarro 


Situada a sul de Lisboa, no concelho de Alcácer do Sal, a Herdade do Portocarro, apesar inserida na região demarcada da Península de Setúbal, fica geograficamente localizada no Alentejo.  Dos seus 140ha, 15ha são de vinha, meticulosamente disposta, em três parcelas, por forma, a melhor garantir o perfil de vinhos idealizado por José da Mota Capitão, considerado, pela Wine, o melhor produtor nacional em 2016.

Apesar da simpatia que nutro, há já uns bons anos, por este projeto vitivinícola, é a primeira vez que aqui vos trago um dos seus vinhos! No caso, este belíssimo Herdade do Portocarro 2015, um tinto de excelente recorte, pleno de sobriedade e elegância.

De tom rubi profundo, Aroma discreto, com boas notas a fruta madura e com um leve e cordato tom especiado  amparado por requintados apontamentos a tosta. Na boca mostra-se amplo, macio e sedoso, onde taninos finos e polidos sustentam a elegância e consistência do conjunto. Final, bastante longo e persistente. Sem duvida um belo tinto e com uma excelente relação qualidade/preço! 
 

 Not. 16,5

 Pvp: €10,50(Ref.) - €7,75(Promoção)