EnglishFrenchGermanSpainItalianDutchRussianJapaneseChinese Simplified

 

sexta-feira, junho 11, 2010

Paulo Laureano Vinus





Paulo Laureano, enólogo e consultor em diversos projectos importantes de enologia, surge a partir de 1999, também como produtor dos seus próprios vinhos.

Somente em 2006 com a aquisição de 70 hectares de vinhas velhas na sub-região demarcada da Vidigueira (Alentejo) e de uma adega que se encontrava anexa a estas vinhas, cria a empresa Paulo Laureano Vinus, Lda.

Com uma área total de 78 hectares de vinhas próprias localizadas no Alentejo, das quais, os 70 hectares adquiridos na Vidigueira e oito que já lhe pertenciam, localizados em Évora (Torre de Coelheiros), focaliza-se na concepção de vinhos produzidos unicamente a partir de castas autóctones nacionais.

Este é fio condutor deste projecto, produzir vinhos de qualidade genuinamente Portugueses e a respeito do qual, Paulo Laureano profere:

"As castas portuguesas carregam uma identidade genuinamente nossa, revelam a especificidade do nosso clima e da nossa cultura. Este é um projecto que nasce de uma crença minha, de que são as nossas castas que deverão estar na base dos nossos melhores vinhos".

Chega mesmo a criar um selo presente em todos os seus rótulos que identifica os seus vinhos como produzidos unicamente com castas Portuguesas.


 Regendo-se por esta convicção, desenha os vinhos, Singularis, Dolium, Paulo Laureano - Clássico e Paulo Laureano - Premium, todos eles nas versões, branco e tinto.

Na categoria de vinhos ultra premium concebe, Paulo Laureano Selectio Alicante Boushet, Paulo Laureano/Laura Regueiro, Paulo Laureano Alicante Boushet, Paulo Laureano Selectio Tinta Grossa e Paulo Laureano Reserve Vinea Julieta Talhão 24.

4 comentários:

  1. Caro Rui;

    Acabei de encontrar via google o blog, estava na verdade procurando algum cítio do Paulo Laureano, pois sou brasileiro, morador do Rio de Janeiro, e acabei de adquirir duas garrafas de vinho Paulo Laureano reserve D.O.C 2008 (sem pesquisa nem nada, pois estava a um preço muito justo, ou seja, em promoção), mas não sei qual o tempo de guarda do vinho. Devo beber uma agora e espera a outra quanto tempo? Poderia me ajudar, se não fosse muito incômodo?
    um gradne abraço brasileiro

    ResponderEliminar
  2. Rui A Teixeira10 outubro, 2011

    Caríssimo Pedro,
    Em primeiro lugar, lamento só agora lhe responder à sua questão. Conheço o “Paulo Laureano reserve DOC 2007”, o 2008 ainda não o provei, contudo e partindo única e exclusivamente da colheita de 2007, diria que se trata de um vinho para ser degustado sem pressas. Sem conhecer a colheita de 2008, é o máximo que lhe posso adiantar.
    Bons vinhos!

    ResponderEliminar
  3. Muito obrigado pela atençao, já é uma ajuda para pensar quando degustar-lo. Espero que um dia possa avaliá-lo para nos dar sua opnião.

    Queria dizer também que agora sou um leitor do blog, um leitor contente.

    novamente obrigado.

    ResponderEliminar
  4. Caro Rui, volta aqui para comentar o mesmo tópico, por dois motivos: degustei uma das garrafas do vinho e explicar uma informação do meu primeiro post.

    Quando, no primeiro post disse que o preço estava em justo por estar em promoção, quis dizer no Brasil, em que um vinho de 20 Euros sai no mínimo por 70 Reais (uns 10 euros mais caro). Só para não parecer indelicado.

    Quanto ao vinho, achei fantástico, aromas de frutas vermelhas, principalmente amora, alguma especiaria, notas de café e um final de madeira. Na boca é bem equilibrado, com taninos que em primeiro contato parecem não existir, mas que depois deixam sua marca na boca, acidez na medida, desce um pouco rústico, mas em um final persistente. Adorei. Guardarei a próxima para daqui a um ou mais anos, acho que esse ficará mais redondo.

    Um abraço.

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...